sábado, 20 de outubro de 2012


SE EPÍSTOLAS DE PAULO SÃO AS QUE SÃO DIRIGIDAS A NÓS, O QUE DEVEMOS FAZER COM O RESTO DA BÍBLIA?
Aqueles que não conhecem a Palavra de Deus corretamente dividida, às vezes, são um pouco sarcástico:
"Vocês estão sugerindo que lancemos fora o resto da Bíblia? Arranque-a e livre-se dela?" 
Claro que não. O que devemos fazer com o resto da Bíblia? Lê-la! Estudá-la! Procurar nas Escrituras e entendê-las.
Vamos ver o que Paulo diz sobre isso.
Romanos 15:4 diz:
"Pois tudo o que outrora foram escritas, foram escritas para nossa instrução, para que pela paciência e consolação das Escrituras, tenhamos esperança".
Ler o Antigo Testamento, estudá-lo, e com razão dividi-lo, como Paulo nos diz na conhecida passagem em II Timóteo 2:15 –
"Procura apresentar-te a Deus aprovado, como um obreiro que não tem de que se envergonhar, que maneja bem a palavra da verdade".

Há um ditado que corre no movimento Graça, que diz: "Toda a Escritura é para nós, mas nem todas as Escrituras estão escritas para nós, ou sobre nós". 
É tão importante reconhecer isso quanto as Escrituras. Isso irá aliviar tanta confusão e angústia. Quantas vezes já ouvimos de pessoas que oraram por alguma coisa, porque eles têm visto uma promessa de oração nos quatro evangelhos. 
"E tudo quanto pedirdes em oração crendo recebereis" (Mateus 21:22).
Eles afirmam que esta promessa, é uma garantia de Deus na Sua Palavra. E, no entanto, talvez meses e anos tenham passado e a oração não foi respondida. Será que isso significa que Deus disse uma mentira ou não é fiel à Sua Palavra? Não, Ele não lançou essa promessa para nós, hoje! Ele dirigiu-se aos santos do Reino messiânico! Por isso, precisamos manejar bem a palavra da verdade.
Paulo sabia o que significava dividir corretamente a Palavra de Deus e a importância disso. Mesmo a partir de sua ocupação secular como fabricante de tendas ele sabia que para fazer uma tenda tinha que fazer as costuras corretas para se unirem devidamente. Quando ele escolheu o texto, e sob a orientação e inspiração do Espírito Santo, ele utiliza um termo muito prático. No grego é "orthotomeo", que significa "em linha reta". O ortodontista endireita seus dentes, o cirurgião ortopédico funciona em seus pés para endireitá-los. O alfaiate “orthotomeo” corta a fazenda pelas linhas marcadas na fazenda, etc. Assim, “orthotomeo” significa cortar em linha reta. Quando Paulo preparou algumas peles ou tecidos e começou a olhar para eles para a sua tenda, ele sabia que tinha de cortar a peça retamente, para que a sua costura se encaixasse nos dois panos que se uniam, quando começasse a coser. É importante cortar bem a Palavra da verdade, para que se encaixe perfeitamente.
Muitas pessoas pensam que se você dividir corretamente a Palavra da verdade, você vai cortá-la em pedaços. Mas, na verdade, quando você dividir corretamente a Palavra de Deus, ele vai se encaixar da maneira que Deus deseja que ela encaixe. Se manejarmos bem a Palavra da verdade, vamos acabar com as aparentes contradições e problemas que muitas pessoas vêm na Bíblia.

De forma que, e para não ser descompreendido, Paulo diz:
I aos Tessalonissenses 5:20 – “Não desprezeis as profecias”.
Isto era importante para os tessalonissenses perceberam os assuntos da Grande Tribulação e que a vinda do Senhor que nós esperamos não é a da profecia, mas a vinda do Senhor, em Mistério. Isto livrava-os de muitas preocupações e temores, conforme diz na II epístola, no capítulo 2.

E, se diz:
«Toda Escritura divinamente inspirada é proveitosa para ensinar, para redarguir, para corrigir, para instruir em justiça, para que o homem de Deus seja perfeito e perfeitamente instruído para toda boa obra» (II Timóteo 3:16-17)
Mas, também diz:
«Sabemos, porém, que a lei é boa, se alguém dela usa legitimamente…» (I Timóteo 1:8).
Diz, ele: “sabemos”! Nem era preciso mais referências sobre o assunto. Mas, entendamos: se não soubermos usar bem as Escrituras e dividi-las corretamente, ela deixará de ser proveitosa, para ser mesmo prejudicial! E, infelizmente, é o que alguns têm feito para seu próprio prejuízo e prejuízo dos seus ouvintes!

Ora, e quem confirma tudo isto é o próprio Apóstolo Pedro:
«E tende por salvação a longanimidade de nosso Senhor, como também o nosso amado irmão Paulo vos escreveu, segundo a sabedoria que lhe foi dada, falando disto, como em todas as suas epístolas, entre as quais há pontos difíceis de entender, que os indoutos e inconstantes torcem e igualmente as outras Escrituras, para sua própria perdição». (II Pedro 3:15-16),
Este texto é muito importante para clarificar algumas ideias:
1.     As Epistolas de Paulo estão ao nível das outras Escrituras, ou seja, daquelas que são consideradas as mais importantes e sagradas, como as “Tábuas da Lei”, ou outra idêntica em valor;
2.     A compreensão incorreta das Epistolas de Paulo – como tem pontos difíceis de entender, e por isso, requer muito estudo e a ação do Espírito de Deus (I Coríntios 2:9-14) – leva os indoutos ou os “não entendidos” e inconstantes a torcerem todas as Escrituras… para sua própria perdição;
Estes são, precisamente, aqueles que não conhecem a verdade do mistério, como Paulo disse:
«Falo como a entendidos…» (I Coríntios 10:15).
3.     E, a questão mais importante: “Tende, AGORA, por salvação, a longanimidade de Deus, ou a graça de Deus, conforme revelado ao amado irmão Paulo”! Salvação, aqui, não é o plano de salvação, mas o ensino total, completo, da revelação de Deus a Paulo, que é o “cômputo” do plano de Deus. Ou seja. Agora, o ensino de Deus é a longanimidade de Deus, conforme o Apóstolo Paulo escreveu.
Por isso, a questão não é rejeitar a palavra dos Profetas. Ele mesmo disse:
«E temos, mui firme, a palavra dos profetas, à qual bem fazeis em estar atentos…» (II Pedro 1:19).

E, nem por isso, ele deixou de dizer que mantinha a esperança dos profetas, já que ele é apóstolo do programa profético e esperava o cumprimento da palavra dos profetas para a sua vida, como disse:
«Mas nós, segundo a sua promessa, aguardamos novos céus e nova terra, em que habita a justiça. Pelo que, amados, aguardando estas coisas, procurai que dele sejais achados imaculados e irrepreensíveis em paz…» (II Pedro 3:13-14).

Então, o que vamos fazer com o resto da Escritura? Lemos. Nós estudamos. E nós manejar bem a palavra da verdade.
Com as Escrituras de Paulo, devemos observar como o compêndio de Deus para o “Corpo de Cristo”, e que nos diz diretamente respeito. Aqui encontramos toda a nossa regra de fé.
As demais Escrituras, embora não tenham sido escritas para nós, nem nos digam respeito, podemos fazer o que o Apóstolo Paulo disse para fazer: Usá-las como “conforto e consolação” e “aviso nosso” (I Coríntios 10:11), para não pecarmos como muitos deles pecaram.

Vítor Pereira do Paço